EcoSport Club

Fórum de discussões sobre o Ford EcoSport


Quem estiver sem acesso ao fórum, basta enviar uma mensagem aos administradores que estaremos tomando as ações necessárias.

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Parabéns EcoSport

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

#1
 Paulo Roberto A. Millioti

avatar
Iniciante
Iniciante
Comprei uma Ecosport 2009 0km em dezembro de 2009 e quando acabou a garantia, instalei um turbo numa oficina especializadíssima.
O motor tem comando variável, que desenvolve muita potência 213hp e muitíssimo torque (32kgf.m) com apenas 0,4 de pressão. Atualmente ando com 0,6 de pressão, mas raramente uso tudo, tanto é que nem medi a potencia nem o torque.
Parece que com 0,6 as respostas em média rotação são mais eficientes, mesmo sem atingir 4.950rpm, que é o máximo confiável.
A rotação máxima de 4950rpm não pode ser usada por muito tempo, é só para uma arrancada rápida, pois esquenta muito e danifica as mangueiras d'água e derrete o cabeçote de alumínio.
Sei de experiência própria, pois estou no terceiro motor.
As trocas de marcha devem ser delicadas, pois a exagerada potência danifica a sincronizada do câmbio, que também já troquei.
Entretanto o veículo responde muito bem quando usado com moderação, tanto no trânsito pesado quanto em viagens, pois aos 2.000 giros já alcança 11 kgf.m, que é a potência máxima da Eco 1.6 com etanol.
O problema é o condutor, que não pode exagerar.

Para as Eco normais quero compartilhar o que foi feito para eliminar os rangidos da suspenção, que aparecem depois que andamos em estrada cujo solo é composta de areia e argila: A a argila ajuda a colar a areia nas partes móveis da suspensão e causa rangidos, que são eliminados com óleo vegetal aplicado após uma lavagem sem usar produtos que atacam as borrachas. Toda graxa e óleo mineral tem componentes que atacam a borracha da suspenção.

Outro barulho que estradas difíceis ou ruas esburacadas causa na suspenção é devido à avaria da biela da barra estabilizadora, que troquei aos 80.000km e paguei $160Reais coloca. Este estalido de ferro com ferro também pode ser dos retentores da mesma barra estabilizadora e custa mais $12Reais cada.

Até hoje (+ou-90.000km), só troquei estas peças citadas acima mais pneu e bateria.
Posso afirmar que a Eco aguenta muito bem e só não acompanha Jeep 4x4 em estrada péssima, ou carros super esportivos em arrancadas, pois é a relação peso/potência e peso/torque é superior à maioria dos esportivos importados.
Parabéns aos engenheiros e técnicos que a produziram.

#2
 Josimar

avatar
Diamond Titanium
Diamond Titanium
Bem vindo ao fórum, Paulo.


Obrigado por compartilhar sua experiência. Mas certamente muitos colegas irão querer saber mais detalhes das suas modificações.


Só para confirmar, sua Eco é 1.6, correto?


Abs

#3
 sgmeira

avatar
Membro Advanced
Membro Advanced
Seja bem vindo!!

#4
 Smaylle

avatar
Membro Gold
Membro Gold
Bem vindo, posta alguma foto do motor ai para vermos, ou algum vídeo.

#5
 Zanetti

avatar
Diamond Titanium
Diamond Titanium
Vc é o segundo que diz que turbinou o Eco, por favor poste fotos da máquina para matar nossa curiosidade

Seja bem vindo ao fórum

#6
 Phill Lima

avatar
Administrador
Administrador
Bem vindo Paulo Roberto A. Millioti, eita, deve da um trabalhão para logar com um nome gigante desse, sihsihsihsis...

Excelente primeira postagem, fica a impressão que você tem muita experiencia para contar e para o fórum isso é uma maravilha, continue participando e quando der posta as fotos ai da sua Eco, galera ta curiosa e eu também...



http://philldesigner.com.br

#7
 Phill Lima

avatar
Administrador
Administrador
Tópico movido para o fórum correto.

 angel 



http://philldesigner.com.br

#8
 Paulo Roberto A. Millioti

avatar
Iniciante
Iniciante
Quem anda com moto de 0 a 100km/h em 2, 3 ou 4 segundos, não consegue ficar parado, por isso antes de turbinar, já havia aumentado uns 4cm as bitolas traseira e dianteira, pois adoro curvas difíceis. As rodas dianteiras são abertas tipo F-Indy, e quando os pneus da frente desgastam a parte interna, coloco na traseira para desgarrar um pouco, o que evita capotamento.
Vou fotografar, mas nunca lavei o motor.

#9
 willians.santana.3

avatar
Membro Platinum
Membro Platinum
Zanetti escreveu:Vc é o segundo que diz que turbinou o Eco, por favor poste fotos da máquina para matar nossa curiosidade

Seja bem vindo ao fórum
Olha o zanetti inventando história... 

Alguém duvida que ele seria capaz de fazer a AT blindadona dele fazer as nossas comerem poeira?
hehehhe

[]s

#10
 efemota

avatar
Administrador
Administrador
Paulo Roberto A. Millioti

Se quiser, podes enviar as fotos por e-mail que eu subo elas.

efemota@hotmail.com

Um video da Eco andando também seria bem legal, ficamos todos curiosos aqui no forum.

Abraços

EFEMOTA



EcoSport FreeStyle 1.6 2009 Prata Enseada

#11
 kelvinpmr

avatar
Membro Jr
Membro Jr
Rapaazzz!!! faz uma coisa dessa comigo não! rsrsrs

manda fotos, dados, vídeos, passo-a-passo, cpf, rg. passa logo tudo ai! rsrsrrs

bem, também estou pensando seriamente em dar um turbinho na minha. a minha eh 4x4 2.0 16v.

queria saber, quanto gastou? andando na boa ela ficou mais econômica ou mais beberrona? qual foi o kit turbo q vc usou?

abraços! e seja muito bem vindo ao fórum! Very Happy

#12
 Paulo Roberto A. Millioti

avatar
Iniciante
Iniciante
O turbo ganhei de meu filho Lucas, que desmontou a Courrier, quando comprou uma Ranger para as estradas rurais da região de Cruzília, MG.
O nome do turbo não me lembro, mas sei que não é de aleta variável nem roletado.
O turbo foi instalado na JR Preparações, de Ribeirão Preto. O Ivo é um dos melhores do mercado, faz carros de arrancada premiados, monta carros especiais, afina Porsche etc., além de piloto de moto.
O preço não me lembro, pois faz tempo..., mas acredito que hoje custaria uns oito, nove mil reais.
O telefone do Ivo é 016 3610 7922.
Se você não resiste à adrenalina e quer longa duração, instale um controlador de pressão e de outras coisinhas que não sei, porque nunca usei. A Eco 1.6 corta o motor a uns 6.000 giros, mas bastam 5.000 rpm para o motor turbinado atingir 213hp e 32kgf.m. Portanto a fácil derreter o motor na empolgação, além de muito perigoso.

#13
 Paulo Roberto A. Millioti

avatar
Iniciante
Iniciante
Estou amaciando o terceiro motor 1.6 preparado, que está com 180km. Passei poucas vezes dos 3.000 giros e por isso o consumo é de 10 a 13km/litro de etanol Vpower na cidade, muito melhor que o motor sem turbo.
Com turbo liberado é quase impossível ficar parado e andando forte faz 3, no máximo 3,5km/litro.
Com os motores anteriores fiz várias vezes 2km/litro de etanol, andando muito forte.
Obs.: Uso gasolina Podiun no tanquinho de partida fria, pois tem quase a mesma octana do etanol e dura 3 meses, conforme sites oficiais. A gasolina comum ou Vpower no tanquinho não combina com o motor turbo.
Tenho um Escort 93 novinho, de coleção, que fica parado com gasolina Podiun, para não estragar o motor com gasolina vencida. A gasolina comum e a Vpower vencem em 1 mês, conforme sites oficiais.
O bom desse motor 1.6 é que seu comando de válvulas é variável, o que otimiza o rendimento do turbo.

#14
 kelvinpmr

avatar
Membro Jr
Membro Jr
entendo entendo, mas olha, fazendo 10 a 13 no álcool na cidade?! consumo de carro 1.0! heehehe.... normalmente eu tbm não passo dos 3000... nossa, muito raro mesmo, o objetivo do turbo na minha eco era exatamente pra tentar gastar menos no dia a dia, lógico pessoal, q vez ou outra vou me empolgar e dar umas espirradas! mas dai normalmente tenho um pé leve..... por isso meu interesse. e acredito q o 2.0 com os mesmos 0.5kg deve render quase uns 300 pócótós certo? so não sei se a minha 2005 é comando variável.

#15
 sobral cunha

avatar
Membro
Membro
Bom dia Paulo, parabéns pelo carro e pelo acerto feito.

Já passei por alguns bons e maus momentos com carros sobrealimentados e, depois de diversas lições aprendidas, posso te dizer o seguinte:

Não sei se você já está usando ou não, mas um intercooler bem dimensionado faria baixar a temperatura do ar na admissão e, consequentemente, a temperatura da câmara de combustão, evitando em grande parte os picos de temperatura que aparentemente você está tendo em alta.

Outra coisa que também poderia ajudar são bicos injetores suplementares configurados pelo mapeamento entrar e "engordar" a mistura em alta, pois é sabido que mistura rica é um artifício usado para baixar a temperatura da câmara e, consequentemente, do motor.

A mistura pobre em alta é a maior causadora de quebras em motores sobrealimentados, é aconselhável o uso de um hallmeter e de um medidor de pressão da linha de combustível, você os tem?

Insisto no tema de mistura pobre pelas médias de consumo que você apresentou, mesmo rodando em baixa. Isso porque normalmente os carros turbinados tem que ter o mapeamento do avanço da distribuição alterado (atrasado) em relação ao original, para evitar pré-ignição e quebra, fora o retrabalho da câmara de combustão aumentando o seu volume para baixar a taxa de compressão no caso de uso com gasolina.

Todo este "pacote" de alterações, fora a perda para empurrar a turbina (turbo lag), normalmente causam aumento de consumo e não redução, e seu consumo está bem baixo, mesmo para um carro original.

Fique de olho no óleo e reduza bem o intervalo das trocas, o óleo que passa pelo circuito do motor é o mesmo que passa pelo eixo da turbina, que trabalha em temperaturas elevadíssimas, isso faz com que ele perca as qualidades de lubrificação e se degrade muito mais rapidamente.

Outros pontos críticos nos turbo são: freios e embreagem, duas coisas já delicadas na Eco, você chegou a os redimensionar?


Abraço e divirta-se com o brinquedo.

#16
 Paulo Roberto A. Millioti

avatar
Iniciante
Iniciante
Rodei uns 50.000km com o turbo, esse carro é o que eu uso no dia a dia, rodo bastante na cidade e meu bico extra só entra acima dos 3.000giros e só uso etanol, a sua alta octana não predispõe à pré ignção.
A Eco 1.6 não facilita um re-mapeamento, mas o comando variável ajuda bem.
Abaixo de 3.000giros o turbo não dá pressão, mas parece que o simples giro da turbina empurra o carro como um sopro e não tem catalizador e não pode usar gasolina, a Podiun daria sobre alimentação, tem menos octanas.
Não procuro facilitar a tocada em alta para não incentivar o pé pesado. O interculer é sempre bem vindo, porém precisaria de todas as peças forjadas para aguentar e esse motor é pouco utilizado com turbo, por isso a produção não tem escala, portanto tudo é muito mais caro.
Quanto à embreagem, dirijo desde os 10anos, tenho 60anos e só troquei a embreagem de 1carro, nunca deixo patinar, nem em manobras, que quase sempre faço sem acelerar. Numa arrancada perde-se um tempão quando patina, além de acabar com a embreagem muito, muito, rápido, é uma questão de treino.
Minha esposa, meus dois filhos e eu já tivemos 5Ford KA 1.0 e confesso que na cidade, com etanol, nunca consegui economizar com a Eco tanto quanto economizava com os KA. Porém nesse terceiro motor, cujos pistões já foram montados com uma pequena folga, mesmo com o motor novo consigo economizar mais do que quando não tinha turbo.
Hoje temos 2Jac 3 motor 1.320cc, cuja economia é extraordinária e sua performance excepcional, o motor foi muito bem construído.
Quanto à pressão do turbo, pedi para regular com 0,6, pois me parece que ele responde melhor do que com 0,4, apesar de nunca ultrapassar 0,4. Com 0,4 o motor fornece 213hp e 32kgf.m a quase 5.000giros, nunca medi com 0,6, pois o motor desgasta muito rápido (não é forjado) e se começar não paro mais, me conheço, já estou no terceiro motor de tanto manter 5.000giros por muito tempo, imagine com 0,6...
Mas turbo não trás economia, pois não custa pouco, além do que ninguém consegue andar só na baixa rotação.
Sempre dá vontade de sair do semáforo junto com as motos, mesmo quando só aceleramos até 60km/h.
O terceiro motor está sendo amaciado como deve ser feito, por isso tenho economizado etanol, mas não é fácil se controlar.
O bom do turbo é a segurança que a arrancada oferece, dá para andar descolado do bloco de condutores pouco afeitos com o trânsito, mesmo quando o limite é de 60km/h.

#17
 Paulo Roberto A. Millioti

avatar
Iniciante
Iniciante
Caro Sobral Cunha.

Você disse um dos motivos ou o único motivo do superaquecimento repentino, que quebrou o último motor: o motivo do rompimento da mangueira d'água, pode não ter sido seu ressecamento por antiguidade.
O bico extra pode ter falhado e a sub-alimentação esquentou rapidamente as já idosas mangueiras.
O bico extra foi trocado, legal.
Quanto ao freio, percebi que eles não eram suficiente logo nos primeiros dias e das piores maneiras...e um freio eficiente num carro alto e leve, precisa ter ABS e EBD. Ainda prefiro um freio menos eficiente e menos tecnológico, mas que permite pequenas derrapadas controladas e isto me faz andar com muito mais cuidado quando estou no trânsito das ruas e das estradas.
Com o turbo dirijo com mais cautela e respeito.
Desliguei dois dos principais indicadores de velocidade: o espirro da turbina e o ronco do escape que parece normal, apesar de redimensionado, é preciso muita atenção para não se acostumar com a velocidade.

#18
 sobral cunha

avatar
Membro
Membro
Boa noite Paulo

Citei a embreagem porque é um problema crônico e conhecido das Ecosport, por ser exatamente a mesma do Fiesta, um carro mais leve e portanto
mais fácil de se tirar da inércia.

Eu também não tive problemas com embreagem, talvez por conhecer um calcanhar de Aquiles do carro, porém, nos turbos que tive foi praticamente obrigatório o uso de embreagem com pastilhas de cerâmica (Gol GTS, Parati GLS, Diplomata). Não devido a patinação (também não sou criança, só um pouco mais jovem do que você) mas sim devido ao torque do motor, afinal os 15 e poucos Kgfm do original são menos da metade dos 32 Kgfm do seu, e haja embreagem e câmbio.

Cada um tem sua opinião e respeito muito a sua, mas já passei sustos com freios originais em carros turbo, o vilão é o fading se quisermos andar rápido, as estradas são caóticas e tem gente a rodo comprando carro com 800 prestações, sem experiência e indo para a estrada, aí frear faz muita falta na hora da fechada inesperada.

ABS e EBD são coisas que podemos considerar recente na indústria automobilistica brasileira, mas como você gosta de derrapagens controladas, concluo que mais freio vai te trazer mais diversão, não para trancar e arrastar, mas sim para modular, provocar e atravessar.

Te garanto que a diversão é garantida e você se sentirá mais seguro no carro, mesmo que andando devagar.


Grande abraço e um ótimo final de semana.

#19
 Paulo Roberto A. Millioti

avatar
Iniciante
Iniciante
Bom Sobral,
Boa dica dos perigos de um freio fraco e pelo que entendi é possível controlar no pé a desaceleração de um freio forte ,ok ? Não dá para relembrar do freio só na emergência.
Quanto às pastilhas de cerâmica na embreagem, é preciso continuar atento aos esforços, pois as outras peças do câmbio passam a receber diretamente os kgf.m a mais, ok ?
Percebo que demorou para que eu me satisfizesse com o brinquedo, preciso andar mais leve, no sopro, aproveitar a tocada mansa e um pouco mais ligeira, que o turbo pode proporcionar. Estou no terceiro motor na ECO turbo, já vi o que o brinquedo faz e continuo cada vez querendo mais...Um carro comportadíssimo, mas sobrealimentado, andando com esportivos reconhecidos, não é conveniente para nossa saúde. Vou aproveitar que o motor está amaciando e encontrar uma tocada mansa mas empolgante, que ninguém é de ferro.
Mesmo assim vou providenciar um freio mais forte, nunca me ative a isto: Existe pastilha melhor para o freio original, ou precisa trocar tudo ?
Bom dia.

#20
 sobral cunha

avatar
Membro
Membro
Boa tarde Paulo

Existem algumas dicas mais em conta e outras mais onerosas, a brincadeira começa com preços camaradas e pode chegar às raias do absurdo (se pensarmos em kits da Brembo ou Wilwood, que necessitariam de rodas maiores, etc). Na minha opinião estas ficam inviáveis em relação ao custo que tem se pensarmos no valor final do carro, aqui no Brasil temos gente capacitada fazendo produtos mais em conta e que atendem muito bem algumas necessidades.

Neste lado mais em conta e mais interessante podemos usar pastilhas de composto mais macio, de maior capacidade de frenagem, porém a contrapartida é que o desgaste delas é um pouco mais rápido do que as originais. Elas podem ser uma boa ajuda ainda usando os discos originais do carro além de terem o custo por volta de R$130 a R$140 o par, acredito eu.

Se formos pensar também em fading, usando rodas originais (que limita o tamanho dos discos) a solução que encontrei nos carros da linha VW que tive foram os discos ventilados e frisados feitos pela Powerbrakes, aliados ao uso das pastilhas deles que citei. As vezes já é chegada a hora de trocar os discos, então a opção fica ainda mais viável.

Esta empresa ainda fabrica kits completos, que incluem discos maiores, pinças, pastilhas e suporte de pinças, por preços nada estratosféricos.

Se quiser dar uma olhada no site deles, é www.powerbrakes.com.br , dá para ter uma boa idéia de custos e eles ainda podem te dar uma boa orientação.

Usei e gostei do que tive, acredito que se você der uma pesquisada na internet a opinião geral também deve ser mais ou menos esta.

Abraço e boa semana.

#21
 guicaixeta

avatar
Iniciante
Iniciante
kd as foto uai

#22
 Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum